Santana do Ipanema - segunda, 23 de outubro de 2017

  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
Manoel Augusto
Conheça o colunista Fale com o colunista
 

27/03/2007
UM BONDE PRÁ MACEIÓ
 
UM BONDE PRÁ MACEIÓ
Manoel Augusto de Azevedo
Ex-Secretário de Educação e ex - Presidente do IMA

Pode parecer um retrocesso, na era dos metrôs e dos modernos “autobus”, se pensar em implantar uma linha de bondes elétricos em Maceió. Explico, e como diz um ditado indiano, "nenhuma explicação exclui uma explicação contrária"!
Pois então, estou pensando no turismo. Em algo que crie uma nova motivação e nos leve ao passado, menos por saudosismo e mais para satisfazer a curiosidade das novas gerações em buscar nas raízes alagoanas, pontos de convergência da formação da nossa identidade, além de restabelecer um pouco do romantismo próprio daquela época.
Por muito tempo, coqueirais da Pajuçara e os navios no porto foram parte de uma paisagem movente, apreciada através das janelas do bonde que levavam passageiros de Jaraguá a Bebedouro. Graciliano Ramos contemplou este panorama na descrição de seu itinerário do trabalho à casa, antes da prisão, em Memórias do Cárcere. Hoje, se há muito os coqueirais cederam lugar à cidade que oculta a vista imediata da praia por parte de quem refaz o trajeto do escritor,permanece em Maceió a natureza vigorosa, que se insinua, apesar das construções, à espera de novas molduras que a redescubram e a valorizem evocando tempos menos frenéticos,que nos inspirem à descoberta de paisagens além da orla.
O Brasil foi o 6° país a implantar uma linha de bondes, com a inauguração da estrada de ferro da Tijuca, RJ 1859, seguido de Salvador, Manaus e São Paulo. Nessa época, na Europa, só a França e a Áustria possuíam linhas de bondes, além dos Estados Unidos, que implantou as três primeiras linhas em New York (1832), New Orleans (1835) e Louisville (1840), seguido de México e Chile, 1858.
No Brasil, 97 cidades operaram sistemas de bondes, inicialmente a tração animal, depois a vapor, a gasolina e finalmente, elétricos, incluindo Maceió, até o final dos anos cinqüenta.
Atualmente, apenas Rio de Janeiro (bonde de Santa Tereza), Campos do Jordão e Santos, mantêm pequenas linhas turísticas bastante concorridas. Em todos os continentes, inúmeras são as linhas de bondes restauradas como atrativo turístico, integradas aos sistemas de transportes urbanos, como os de São Francisco, Detroit, Tókio, Lisboa, Barcelona, Rio de Janeiro, Berlin, Amsterdã, Moscou, Blackpool e de tantas outras metrópoles.
No caso de Maceió, poder-se-ia argumentar que o título “Paraíso das Águas” justifica a concentração de melhorias dos equipamentos urbanos e de empreendimentos turísticos nas avenidas da orla. A esta perspectiva, porém, se contrapõe o exemplo de cidades como Barcelona e a menos conhecida Blackpool, em que a criatividade dos projetos urbanos , que incluem a revitalização das linhas de bonde elétrico, contribui para potencializar vocações naturais do lugar e para a descoberta de qualidades menos óbvias.
“Situada no litoral oeste da Inglaterra, Blackpool é a cidade favorita dos Ingleses para uma temporada à beira mar. Foi a primeira cidade do mundo a ter uma linha permanente de bondes elétricos (1885).
Já em 1879 a cidade atraia turistas para temporada de verão. Agora, em pleno século 21, Blackpool continua atraindo cada vez mais gente para suas praias e dá para entender a razão: a combinação de um clima de carnaval, descontração, areias brancas, bondes fantasiados, música e mar. Essa mistura a torna irresistível!”
Maceió, poderá ser a Blackpool brasileira, restaurando pioneiramente no Nordeste uma linha de bondes elétricos, aproveitando o ramal ferroviário que liga a ESTAÇÃO CENTRAL ao Porto de Jaraguá, via Centro de Convenções. A avenida Buarque de Macedo é o espaço ideal para um projeto dessa natureza.
Ademais, criaria uma nova paisagem numa área nobre, porém maltratada pelo corredor de lixo sobre a linha férrea lá existente, em que pese o trabalho cotidiano da Prefeitura.
Tudo por uma Maceió mais bonita, mais atraente e mais encantadora!





Últimas publicações
- Jogos de azar !!!???
- SANTANA DOP IPANEMA, A CIDADE DAS 7 COLINAS!...
- Diário de um Caipira - Paris
Colunistas
Antonio Machado
OS LIMERIQUES DAS ALAGOAS
Archimedes Marques
DELEGADO ARCHIMEDES CONTRA O MATA SETE
Augusto Ferreira
Solidariedade começa com pequenos gestos
Carlindo de Lira
INTERIORIZAÇÃO versus METROPOLIZAÇÃO
Carlito Lima
SOCORRINHO
Cicero de Souza Sobrinho (Prof. Juca)
Fabulosa
Clerisvaldo B. Chagas
Resposta Benigna a Machado
Djalma Carvalho
PORTUGAL E SANTIAGO DE COMPOSTELA
Fábio Campos
O DITO, PELO NÃO DITO
João do Mato
O QUE É UM PROBLEMÃO PODE TORNAR-SE UMA SOLUÇÃO
Joaquim José Oliveira Chagas
RETALHOS DE UM PAÍS
José Ailson Ferreira Leite
ESPECIAL SEMANA SANTA - DOMINGO DE PÁSCOA
José Antônio (Toninho)
Cirurgiões-dentistas ganham autorização para solicitar exames complementares
José Avelar Alécio
ENSINO PÚBLICO DE ALAGOAS x ENEM
José de Melo Carvalho
AFONSO ALECIO GOMES, UM BANCÁRIO EXEMPLAR
José Malta Fontes
SERTÃO EM FLOR
José Vaneir Soares Vieira
VIII - A TERRA E O CÉU FUGIRAM DE DEUS - i
Luciene Amaral da Silva
DETALHES
Manoel Augusto
Jogos de azar !!!???
Maria Lúcia Nobre dos Santos
RIO BALDO
Marta Alves Lemos
Desabrochando pra vida!
Paiva Netto
Saúde mental e Espiritualidade
Pe. José Neto de França
TIROTEIO NO COLÉGIO GOYASES: UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA?
Pedro Cardoso Costa
ABRAÇO DE AFOGADOS
Rogivaldo Chagas
A NATUREZA DAS ESCOLHAS
Sibele Arroxellas
TAMBORIM

Últimas Atualizações
Saúde mental e Espiritualidade
TIROTEIO NO COLÉGIO GOYASES: UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA?
O DITO, PELO NÃO DITO
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados