Santana do Ipanema - quinta, 22 de junho de 2017
  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
José de Melo Carvalho
Conheça o colunista Fale com o colunista
 

21/09/2015
JALISCO, JEB E LEO
 
JALISCO, JEB E LEO
José de Melo Carvalho
Em nossa época de jovens, também nossa turma gostava de assistir a filmes e seriados, quase sempre aos domingos. Éramos todos cinéfilos. Os preferidos, filmes e seriados, eram do gênero western, ou faroeste, como assim eram chamados aqui no Brasil. Essa produção de filmes americanos conseguiu adeptos e fãs em grande parte do mundo, ao longo de décadas.
Era a época das conquistas das terras bravias, inexploradas, do velho oeste americano, com caravanas de famílias, homens da lei nas cidades que foram sendo formadas, diligências, instalações de salons, aquelas brigas de socos e pesadas, duelos, muito uísque, tiros e índios. Paralelamente, os bandidos atormentavam os habitantes daqueles insólitos lugares.
Tudo aquilo nos deixava animados, contentes, fascinados. Para todos nós, porém, o mais difícil: faltava-nos dinheiro para as entradas no cinema de Seu Tibúrcio e Dona Adelina, que costumavam beliscar as mãos dos garotos que pediam entrada grátis.
Os grandes mocinhos eram Jesse James, Billy the Kid, o notável homem da Lei Wyatt Earp, Gary Cooper, Randolfo Scott, John Waine, Audie Murphy, George Montgomery, Durango Kid, Roy Rogers e tantos outros. Ainda hoje gosto de assistir a um belo bang-bang, quando encontro DVD, para aluguel ou venda.
Agora, voltemos à razão desses nomes em destaque. O filme a que assistimos, faz muito tempo, parece-nos o baseado num fato ocorrido no começo do século 20, no estado de Jalisco, região banhada pelo oceano pacifico, oeste do México. Um destacamento de federais fora morto a tiros e se falava num certo personagem que tinha vindo lutar contra o governo do presidente Plutarco Calles. Entre os rebeldes, Jalisco, Jeb e Leo, três facínoras, tomavam carona no grupo e aproveitavam o momento para atormentar a região com roubos, assassinatos e bandidagem.
Após a sessão, Lobão (Arquimedes) autodenominou-se “Jalisco”, passando para o autor deste texto o nome de “Jeb” e Lobinho (Edinaldo) seria “Leo”. Tudo isso para nosso governo, como segredo dos três.
Naquele tempo não havia ainda a figura do pichador profissional, que hoje emporcalha as grandes cidades e os centros urbanos no mundo inteiro, escrevendo dizeres políticos, mensagens cifradas de gangues e outras bobagens. Na Rua Nova, onde morávamos, havia a foice e o martelo, pintados num muro ninguém sabe por quem, com a inscrição do PCB.
Lobão, conhecido por suas inconsequentes travessuras, arranjou tinta e, na calada da noite, começou a escrever em vários lugares o nome dos citados bandidos do filme. No outro dia, os comentários eram sobre os desconhecidos personagens. O sigilo dos três estava sendo cumprido, garantido.
Aconteceu que Dona Maria Zuza flagrou Lobão pichando seu muro e exigiu que ele mesmo, de imediato, limpasse a sujeira. Do contrário, levaria o fato ao conhecimento de sua mãe, Dona Olívia, para o devido castigo.
Até hoje, parece-nos que somente João Neto (João do Mato) sabia o verdadeiro nome de “Jalisco”, “Jeb” e “Leo” e a história da molecagem dos três jovens moradores da Rua Nova, em Santana do Ipanema.
Maceió, setembro de 2015.


Últimas publicações
- AFONSO ALECIO GOMES, UM BANCÁRIO EXEMPLAR
- JALISCO, JEB E LEO
- CAÇADA, BADERNA E DELEGACIA
Colunistas
Antonio Machado
DIA DOS NAMORADOS
Archimedes Marques
DELEGADO ARCHIMEDES CONTRA O MATA SETE
Augusto Ferreira
Solidariedade começa com pequenos gestos
Carlindo de Lira
INTERIORIZAÇÃO versus METROPOLIZAÇÃO
Carlito Lima
SOCORRINHO
Cicero de Souza Sobrinho (Prof. Juca)
Fabulosa
Clerisvaldo B. Chagas
Resposta Benigna a Machado
Djalma Carvalho
A MENINA DO PASSO
Fábio Campos
SANTO ANTÔNIO, EU VOU DE BICICLETA!
João do Mato
O QUE É UM PROBLEMÃO PODE TORNAR-SE UMA SOLUÇÃO
Joaquim José Oliveira Chagas
RETALHOS DE UM PAÍS
José Ailson Ferreira Leite
ESPECIAL SEMANA SANTA - DOMINGO DE PÁSCOA
José Antônio (Toninho)
Cirurgiões-dentistas ganham autorização para solicitar exames complementares
José Avelar Alécio
ENSINO PÚBLICO DE ALAGOAS x ENEM
José de Melo Carvalho
AFONSO ALECIO GOMES, UM BANCÁRIO EXEMPLAR
José Malta Neto
FRANCISCO JOSÉ, 40 ANOS NO AR
José Vaneir Soares Vieira
VIII - A TERRA E O CÉU FUGIRAM DE DEUS - i
Luciene Amaral da Silva
O DESAFIO DO CUIDADO
Manoel Augusto
Jogos de azar !!!???
Maria Lúcia Nobre dos Santos
RIO BALDO
Marta Alves Lemos
Três amores
Paiva Netto
Vencendo as diferenças
Pe. José Neto de França
CICATRIZES OU FERIDAS?
Pedro Cardoso Costa
REFORMA DA PREVIDÊNCIA: QUAL EMPREITEIRA ESTÁ BANCANDO?
Rogivaldo Chagas
A NATUREZA DAS ESCOLHAS
Sibele Arroxellas
E dois anos se passaram...

Últimas Atualizações
CICATRIZES OU FERIDAS?
Vencendo as diferenças
Deserto, seca, poluição...
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados