Santana do Ipanema - quinta, 23 de novembro de 2017

  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
Clerisvaldo B. Chagas
Conheça o colunista Fale com o colunista
 

29/04/2014
Resposta Benigna a Machado
 


RESPOSTA BENIGNA A MACHADO

RIBEIRA DO PANEMA, ROMANCE

Clerisvaldo B. Chagas, 29 de abril de 2014

Crônica Nº 1.177

Clerisvaldo lança seu primeiro romance em Pão de Açúcar, AL.

Há 37 anos, o escritor Luiz B. Tôrres escreveu a respeito do romance Ribeira do Panema, do escritor iniciante Clerisvaldo B. Chagas:

“Os vários aspectos da vida nordestina, principalmente aqueles vividos pela população interiorana, formam um celeiro inesgotável de material para romancistas e, sobretudo, de subsídios inestimáveis para estudiosos de sociologia. Embora muito já se tenha escrito a respeito, há lacunas a serem preenchidas. Muita coisa resta por se escrever ainda.

Se é verdade que um Graciliano Ramos, um José Lins do Rego, ou mesmo José Américo de Almeida, luminares da literatura nacional, publicaram vários livros sobre o assunto, isto, porém, não impede que outros possam fazê-lo. Não se pode encerrar a vida sertaneja entre as capas de cinco ou seis livros apenas. Está sobrando material ainda. Material inédito, capaz de encher muitos e muitos volumes, sem dúvida alguma. Aqueles escritores não esgotaram a fonte, ela está praticamente virgem e jorrando aos borbotões.

Não está saturada a temática sertaneja. Dizer o contrário, é desconhecer a visão panorâmica de uma região que abriga cerca de trinta milhões de brasileiros. Uma cidade, um povoado, ou um lugarejo, podem ter pontos coincidentes, mas cada um possui uma particularidade inconfundível, com histórias próprias e facetas distintas.

Capa de Adeilson Dantas.

Clerisvaldo Braga das Chagas, santanense de 29 anos, terceiroanista de Estudos sociais, está estreando como romance RIBEIRA DIO PANEMA. Como Agente de Coleta do IBGE, profissão que o obriga a comunicar-se com as pessoas e a inteirar-se de situações, armazenou boas estórias e tipos humanos que agora os enfeixou num romance de grande estilo. Basta dizer que o li, do começo ao fim, sem largá-lo, fascinado pelo enredo atraente e empolgado pela fidelidade com que abordou aspectos sociais do sertão.

Há de tudo no seu livro: política, sexo, folclore, sangue, desmandos e traições. Há doçura e maldade. É agressivo e romântico. Quando cheguei à última página, fiquei lamentando que o livro não se prolongasse mais. É muito bom, por isso. É preferível se deixar o leitor na ansiedade de desejar ler mais, do que se escrever demais.

Clerisvaldo Braga das Chagas atrairá muitos leitores para o seu romance de estreia. Santana do Ipanema e o estado de Alagoas serão revolucionados. Muita gente irá pretender identificar, através de suas páginas, um ex-prefeito, um político, um coronel, um grandola enfim, personagens muito bem diluídos na urdidura, do romance. Será motivo de assunto para os encontros nos bares, conversas de calçadas e também da porta da igreja. É gostoso, porque a carapuça irá ajustar-se à cabeça de muita gente. Não há mal nenhum nisto. A vida dos homens públicos pertence à história. Seus atos refletem-se na vida inteira de uma comunidade.

Da próxima vez que eu visitar Santana do Ipanema, procurarei conhecer os lugares citados por Clerisvaldo. Será um roteiro turístico que gostarei de palmilhar, sob o embalo das coisas gostosas que ele escreveu: a casa da amante do prefeito Maximino, a Rua do sebo, o Poço dos Homens e os demais recantos apresentados na ribeira do Panema. Sentar-me-ei nas areias do ‘Rio Manhoso’, sem água, no verão, mas ‘arrotando valentia’ e aliciando todos os ‘riachos para o seu cordão’, durante o inverno.

RIBEIRA DO PANEMA é um livro fadado ao sucesso, e seu autor iniciou muito bem sua carreira literária”.

Luiz B. Tôrres.



Últimas publicações
- Resposta Benigna a Machado
- DIREITO DE RESPOSTA AO LAMPIÃO MACHADIANO
- IPANEMA UM RIO MACHO
Colunistas
Antonio Machado
DO LIXO AO LUXO
Archimedes Marques
DELEGADO ARCHIMEDES CONTRA O MATA SETE
Augusto Ferreira
Solidariedade começa com pequenos gestos
Carlindo de Lira
INTERIORIZAÇÃO versus METROPOLIZAÇÃO
Carlito Lima
SOCORRINHO
Cicero de Souza Sobrinho (Prof. Juca)
Fabulosa
Clerisvaldo B. Chagas
Resposta Benigna a Machado
Djalma Carvalho
COLEGA, GOZADOR, POLIGLOTA
Fábio Campos
QUEM É ESTA MULHER?
João do Mato
O QUE É UM PROBLEMÃO PODE TORNAR-SE UMA SOLUÇÃO
Joaquim José Oliveira Chagas
RETALHOS DE UM PAÍS
José Ailson Ferreira Leite
ESPECIAL SEMANA SANTA - DOMINGO DE PÁSCOA
José Antônio (Toninho)
Cirurgiões-dentistas ganham autorização para solicitar exames complementares
José Avelar Alécio
ENSINO PÚBLICO DE ALAGOAS x ENEM
José de Melo Carvalho
AFONSO ALECIO GOMES, UM BANCÁRIO EXEMPLAR
José Malta Fontes
SERTÃO EM FLOR
José Vaneir Soares Vieira
VIII - A TERRA E O CÉU FUGIRAM DE DEUS - i
Luciene Amaral da Silva
DETALHES
Manoel Augusto
Jogos de azar !!!???
Maria Lúcia Nobre dos Santos
RIO BALDO
Marta Alves Lemos
Desabrochando pra vida!
Paiva Netto
Doe sangue
Pe. José Neto de França
VOCE SE CONSIDERA UMA PESSOA MEDROSA?
Pedro Cardoso Costa
ABRAÇO DE AFOGADOS
Rogivaldo Chagas
A NATUREZA DAS ESCOLHAS
Sibele Arroxellas
TAMBORIM

Últimas Atualizações
Doe sangue
DO LIXO AO LUXO
Lincoln, o prego e o reino
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados