Santana do Ipanema - sexta, 24 de março de 2017
  Informação
Assistência Social
Cultura
Curiosidades
Economia
Educação
Entrevistas
Esportes
Geral
Moda & Beleza
Opinião
Polícia
Política
Religião
Saúde
Sexualidade
Turismo
Vídeos
  Especiais
Canal do Sertão
Especiais de Domingo
  Serviço
Documentários
Eventos
Galeria de Fotos
Guia de Negócios
Literatura
Shows e Festas
  Interativo
Fale Conosco
Mural de Recados
Rádio Portal Maltanet
Webmail
 
José Ailson Ferreira Leite
Conheça o colunista Fale com o colunista
 

28/11/2016
SAMPLE OU PLAYBACK?
 
Antes de tudo vamos primeiramente vamos explicar a diferença entre cada um deles.

O SAMPLE – É um conjunto de elementos eletrônicos e tecnológicos de sons e programas, no qual é usados em bandas para abranger uma grade de arranjos melódicos ou harmônicos mais completa, no qual é formado por softwares e arquivos muito pesados de áudio, servindo assim para suprir a ausência de um determinado instrumento.

O sample pode ser usado de maneira completa em notebooks ou computadores convencionais, ou de maneira mais compacta através de sintetizadores com extensão para samples internos. No geral eles também são usados por grupos de barzinho, músicos de igreja, e também por produtores musicais e Studios de gravação.

O PLAYBACK – O playback nada mais é que um acompanhamento gravado, é como se fosse uma música sem a voz, esse tipo de trabalho é o mesmo usado em karaokê, é usado em programas de TV, ou também em rádio, normalmente você não precisa necessariamente de um PC ou notebook, um smartphone, ou tablet já é o suficiente pra executar esse tipo de trabalho.

Explicada a diferença entre cada um deles, vamos entender o seguinte, a finalidade de ambos é totalmente diferente, e existem também dois lados dessa história, o sample é completamente usado ao vivo, e dividido em itens, os vst (programas), os samples (arquivos de audio) os loops (pequenas sequências de harpejos ou ritmos) e os efeitos (normalmente vinhetas, bordões, frases rápidas ou sons de desenho, de filmes e etc)

O uso desses tipos de arquivos é extremamente normal, pois pra eles serem executados precisam de intervenção humana, ou seja de um músico, normalmente usados por tecladistas, ou até mesmo guitarristas, usar esse tipo de arquivo deixa o trabalho com uma qualidade muito melhor, os arquivos usados são em formato Wave, que é um tipo de formato de áudio extenso e pesado, porém é o que mais se aproxima do som real, ou seja do som capitado pelo nosso ouvido.

Vale ressaltar que o uso do sample não deixa dúvidas nenhuma de que aquele trabalho está de fato sendo realizado de forma manual, pois pra isso o músico capacitado realiza as trocas de instrumentos ou timbres em tempo real, como se faz usando um teclado ou uma pedaleira normalmente, pois muitas pessoas associam o uso do sample ao uso do playback, coisa completamente diferente.
O uso do playback foi criado na verdade pelos canais de TV e também de rádio, pois a anos atrás a tecnologia não era o suficiente para que os artistas pudessem se apresentar como nos dias de hoje, com a banda completa e ao vivo, e outros ainda nem se quer usavam, tocavam uma faixa mesmo do disco.

Mas como tudo na vida tem dois lados, o lado bom é o lado ruim, e o lado ruim dos playbacks é que eles saíram dos canais de TV e rádio, e foram parar nas mãos de pessoas que mancham a classe dos músicos, nos barzinhos e shows, e é muito fácil identificar um playback, normalmente os artistas erram muito, por mais que ensaiem, que se preparem eles falham nos gestos labiais, e também no comportamento instrumental.

Outro dia em um determinado lugar, observei um grupo tocando, por sinal a vocalista cantava muito bem, tinha um ótimo timbre, porém no instrumental, eu percebi que estava muito arranjado, e só tinha um guitarrista e um tecladista, e em determinada hora o tecladista se perdeu na música, e ao perceber que eu estava observando ele ficou sem jeito, e daí eu percebi juntamente a outras pessoas, e não demorou muito, quando eles mudaram o estilo a cantora estava atravessando completamente o ritmo, daí então as pessoas que estavam ao nosso redor começaram falar que se tratava de playback.

Isso não tem sido nada legal por parte desses colegas músicos, muitos donos de bares já não estão mais aceitando grupo musicais se apresentarem nos seus estabelecimentos, pois visto de certo ponto de vista se torna uma pirataria, muitas vezes causando desconforto para o dono do estabelecimento, e pra nossa classe, é uma vergonha absurda, pois muitos de nós ralamos exaustivamente por horas pra buscarmos o nível mais próximo possível da perfeição, e não chega a ser valorizado, enquanto outros baixam os playbacks na internet e fingem estar tocando.

Visto essas situações os donos de bares e restaurantes da região sul e sudeste não permite apresentação de grupos formados por teclado e voz, eles terão de serem substituídos por violão e cajon, ou se apresenta a banda completa, e no nordeste em alguns lugares também já estão fazendo o mesmo, valorizando assim aqueles que tocam de verdade, porém vale ressaltar, essa minoria jamais pode ser comparada com os que usam samples com grupos, pois você percebe claramente que quando a apresentação é feita assim, não existem muitos arranjos, não há muitas variações de ritmos como fazem as bandas, por isso se você notar algo desse tipo, reclame, pode parecer pouco, mas o cover ou o ingresso que você está pagando pode estar saindo mais caro do que você imagina.
Abaixo eu separei dois links, para que você possa fazer a comparação entre o sample para tocar ao vivo e o playback!

Ao vivo!
https://m.youtube.com/watch?v=zmpgsPuMIwA
Erro com playback
https://m.youtube.com/watch?v=EFnxW_uj48I

Últimas publicações
- QUARESMA PARTE I - IMPOSIÇÃO DAS CINZAS E A ABSTINÊNCIA DE CARNE
- 08 DE MARÇO COMEMORAR OU SE QUESTIONAR?
- CONTAGEM REGRESSIVA PARA O FIM DO AUDIO MATERIAL
Colunistas
Antonio Machado
VOZES QUE NÃO SE CALAM
Archimedes Marques
DELEGADO ARCHIMEDES CONTRA O MATA SETE
Augusto Ferreira
Solidariedade começa com pequenos gestos
Carlindo de Lira
INTERIORIZAÇÃO versus METROPOLIZAÇÃO
Carlito Lima
SOCORRINHO
Cicero de Souza Sobrinho (Prof. Juca)
Fabulosa
Clerisvaldo B. Chagas
Resposta Benigna a Machado
Djalma Carvalho
VIAGEM AO CEARÁ
Fábio Campos
REALMENTE, A CARNE É FRACA!
João do Mato
O QUE É UM PROBLEMÃO PODE TORNAR-SE UMA SOLUÇÃO
Joaquim José Oliveira Chagas
RETALHOS DE UM PAÍS
José Ailson Ferreira Leite
QUARESMA PARTE I - IMPOSIÇÃO DAS CINZAS E A ABSTINÊNCIA DE CARNE
José Antônio (Toninho)
Cirurgiões-dentistas ganham autorização para solicitar exames complementares
José Avelar Alécio
ENSINO PÚBLICO DE ALAGOAS x ENEM
José de Melo Carvalho
AFONSO ALECIO GOMES, UM BANCÁRIO EXEMPLAR
José Malta Neto
ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA
José Vaneir Soares Vieira
VIII - A TERRA E O CÉU FUGIRAM DE DEUS - i
Luciene Amaral da Silva
A INVENÇÃO DOS CONFLITOS
Manoel Augusto
Jogos de azar !!!???
Maria Lúcia Nobre dos Santos
RIO BALDO
Marta Alves Lemos
Três amores
Paiva Netto
Efeito social da prece
Pe. José Neto de França
ATENÇÃO BRASIL: UM GRANDE GOLPE ESTÁ SENDO ARTICULADO
Pedro Cardoso Costa
ESTUDAR COM QUALQUER IDADE
Rogivaldo Chagas
A NATUREZA DAS ESCOLHAS
Sibele Arroxellas
E dois anos se passaram...

Últimas Atualizações
VIAGEM AO CEARÁ
ATENÇÃO BRASIL: UM GRANDE GOLPE ESTÁ SENDO ARTICULADO
VOZES QUE NÃO SE CALAM
 
© 2001/2017 - Portal Maltanet - Todos os direitos reservados